O cinema rebelde de Jorge Sanjinés


Nos anos 1960 ou 1970, ninguém que gostasse de cinema desconhecia o nome de Jorge Sanjinés. Era sempre citado ao lado dos de Glauber Rocha, Fernando Birri, Tomás Gutiérrez Alea, Fernando Solanas e outros. Mesmo hoje, quem se interessa pelo cinema latino-americano, tem neste diretor boliviano, nascido em 1936, uma de suas referências. No entanto, o grande público o desconhece. Mais um motivo para curtir a mostra Jorge Sanjinés – um cinema junto ao povo, que começa hoje em São Paulo.

A mostra apresenta nove longas-metragens do diretor, com cópias restauradas digitalmente. Prevê também debates sobre sua obra. É a maior retrospectiva já dedicada a Sanjinés no Brasil.

Entre eles, os fundamentais Ukamau (1966), A Coragem do Povo (1971), A Nação Clandestina (1989) e Insurgentes (2012). Também programado o opus mais recente da filmografia do autor, Juana Azurdy, Guerrilheira da Pátria Grande, de 2016. O cinema de Sanjinés é intenso, político e aliado aos povos indígenas do seu país. É um cinema fundamental.

Para acompanhar a programação, acesse:

https://www.facebook.com/mostrajorgesanjines/

http://centrocultural.sp.gov.br/site/eventos/evento/mostra-jorge-sanjines-um-cinema-junto-ao-povo/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.